A pimenta-do-reino por ser originária da India, também conhecida como pimenta da Índia, é uma planta trepadeira, sendo a mais comum e mais importante das especiarias.​

O seu cultivo está bem difundido em regiões de clima tropical, em latitudes de até 20°N e 20° s e altitudes de até 2.400 m.
A introdução da pimenta no Brasil ocorreu no século XVII no estado da Bahia, sendo levada em seguida para a Paraíba, Maranhão e Pará.
No Espírito Santo, o cultivo foi introduzido primeiramente em Linhares, com mudas originarias do Pará e posteriormente, novas introduções foram efetuadas a partir do Estado da Bahia.
Atualmente, no Espírito Santo, cultiva-se área superior a 2.300 ha, predominando as cultivares Cingapura, São Matheus, Bragantina, Guajarina e Iaçara.
O desenvolvimento do cultivo, na região, está intimamente ligado a muitas famílias da colônia italiana que se instalaram na região e foram as precursoras no plantio da pimenta-do-reino, sendo uma delas a família Sacconi.

História 

da

 Pimenta

PIMENTA DO REINO PRETA EM GRÃO

 

Cultivo

Para produzir a pimenta preta, os cachos são colhidos quando as cachos estão completamente desenvolvida, de coloração verde-claro ou amarelada. Depois são debulhadas mecanicamente ou manualmente, ao termino são levadas para secagem ao sol. Há produtores que não costumam debulhar a pimenta e neste caso, os cachos são colocados para seca e durante o processo de secagem vão se desprendendo do eixo. Para que fique uniforme, retiram com um pequeno rodo de madeira os eixos dos cachos que estão misturados com o produto. Neste momento a pimenta é separada e classificada por gramatura.

A Sacconi investe constantemente em novas tecnologias, debulha os cachos mecanicamente e consegue com a mesma eficácia fazer a secagem com secadores o que agiliza a produção.

Utilização
Os seus grãos, secos e moídos, são bastante utilizados na culinária de diversos países, como produto nato, na produção de condimentados. Tem um sabor forte e picante.

Cassificação: ASTA,  B1 e  B2

PIMENTA DO REINO BRANCA EM GRÃO

 

Cultivo
Para o preparo da pimenta do reino branca, os cachos são colhidos quando os frutos apresentam a coloração amarelada ou vermelha. Após serem debulhados, são macerados em tanques de alvenaria ou em água corrente. Para prevenir o odor putrefato, pode ser adicionado calcário para elevar o pH da água. A cada três dias a água é trocada, no 12° dias, os tanques são drenados e lavados para serem reutilizados. A pimenta produzida por esse processo apresenta a coloração branca e o odor característico de pimenta-do-reino. Depois de descascada e lavada, a pimenta é  colocada 
em uma plataforma suspensa livre de contato com a terra para secagem ao sol depois embalada em sacos duplos de polipropileno.
Este processo da pimenta branca é uma exclusividade da Sacconi na região.

 

Utilização
A pimenta branca tem a mesma utilização da pimenta preta, sendo equivalente em sabor e gramatura, porem tem um aspecto mais refinado.

Classificação: Asta, B1 e B2